Crianças e internet: Os principais perigos e como se prevenir

Crianças e internet: Os principais perigos e como se prevenir

O tempo que seu filho (a) passa na internet e o tipo de conteúdo que ele consome é uma preocupação para você? De fato, o ambiente on-line para crianças e adolescentes oferece uma série de riscos que precisam ser trabalhados e reduzidos dentro do possível.

De acordo com uma pesquisa do Comitê Gestor da Internet no Brasil, por meio do Centro Regional de Estudos para o Desenvolvimento da Sociedade da Informação (Cetic.br) do Núcleo de Informação e Coordenação do Ponto BR (NIC.br), cerca de 24,3 milhões de crianças e adolescentes, com idade entre 9 e 17 anos, são usuários de internet no Brasil, o que corresponde a cerca de 86% do total de pessoas dessa faixa etária no país. 

Além disso, a mesma pesquisa mostrou que 11% dos participantes tiveram seu primeiro contato com a internet até os seus 6 anos de idade, ou seja, antes mesmo da sua alfabetização.

Entenda, a seguir, alguns riscos envolvidos na exposição das crianças e como prevenir esses problemas. Reforçando que abordaremos apenas do ponto de segurança e integridade física, não entrando em aspectos do intelecto ou pedagógicos.

Quais os principais riscos de uma criança no ambiente on-line?

# 1 Cyberbullying

Um dos principais riscos é o chamado cyberbullying, uma forma de assédio e agressão por meio da tecnologia. Dados da Organização das Nações Unidas (ONU) e da Fundação Telefônica apontam que 55% dos jovens latino-americanos já foram vítimas de cyberbullying.

Na prática, consiste em qualquer ação de constrangimento nas plataformas digitais, tais como exposição de fotos ou montagens constrangedoras, críticas à aparência física, comportamento ou orientação sexual, por exemplo, entre outros pontos.

Nestes casos, a maioria dos agressores usam perfis falsos, chamados de fakes, para esconderem sua identidade enquanto executam os atos de constrangimento

# 2 Conteúdos inapropriados

Um risco grande está ligado a exposição de menores, seja intencional ou acidentalmente, a conteúdos inapropriados: violentos, sexuais ou de ódio que circulam nas redes sociais ou mesmo sites sem restrição ou controle de idade.

# 3 Sexting

Esta prática é definida como a autoprodução de imagens sexuais e a troca destes conteúdos, por meio de telefones e/ou da Internet (mensagens, e-mails, redes sociais). Pode ser entendido como uma forma de assédio sexual em que uma criança e um adolescente acabam sendo pressionados a enviar uma foto para um estranho ou mesmo conhecido, que a utiliza para divulgar sem o seu consentimento.

# 4 Predadores

Quando se há qualquer tipo de exposição na internet um grande risco que se corre é com relação a todos os tipos de predadores, inclusive os sexuais. Estes criminosos acabam agindo em redes sociais ou mesmo em sites de jogos para, muitas vezes, atrair essas crianças e adolescentes para encontros presenciais, colocando em risco a vida da vítima.

Como proteger e prevenir os riscos da internet?

#1 – Pais de crianças pequenas podem utilizar a internet junto com a criança. Este é um momento de observação, para entender o comportamento dela, quanto de orientação, explicando dos riscos e quais tipos de desconfiança ela precisa ter.

#2 – Controle aplicativos e sites: muitos destes recursos oferecem um tipo de controle parental, que restringe o tipo de conteúdo que a criança será exposta ou até mesmo controle o tempo de exposição.

#3 – Orientar é fundamental: explique que existem perfis falsos e que ele deve desconfiar sempre que um perfil destes se aproximar, além de jamais compartilhar fotos, dados ou informações sensíveis.

#4 – Observe se, em algum momento, existe mudança de comportamento na criança ou adolescente. Pequenos sinais podem representar problemas on-line. 

Estes são alguns dos principais pontos para se prestar atenção. Ficou com mais dúvidas? Compartilhe conosco para que possamos ajudá-los com mais dicas.

Compartilhe:

Deixe uma resposta